Mosteiro de São Bento, São Paulo (SP)

Instalado em 1954 no transepto esquerdo da Basílica, o órgão do Mosteiro de São Bento foi fabricado pela empresa alemã Walcker (op. 3.219). Está colocado numa grande tribuna sustentada por duas colunas de carvalho, cujos capitéis representam, em alto-relevo, nas oito faces, as principais atividades da vida do monge: oração, trabalho, estudo e atividade artística. Em excelente estado de conservação, possui 77 registros reais, 4 teclados manuais e pedaleira, com aproximadamente 6.000 tubos, tração eletro-mecânica e 9 foles.

Em 1997, o instrumento recebeu um novo console da casa alemã Laukhuff, equipado com sistema eletrônico de memória, organizada em 2 espaços de trabalho, com 99 séries de 12 combinações cada, resultando em 2.376 combinações. Este console possui, ainda, 4 crescendos programáveis, anulador de palhetas e misturas para cada teclado e pedaleira, anulador geral de palhetas, 5 combinações fixas e transpositor com 5 posições.

Inaugurado em 14 de novembro de 1996 por ocasião do III Festival Internacional São Bento de Órgão, o segundo órgão do Mosteiro de São Bento é um órgão digital, da marca Ahlborn, de fabricação italiana, modelo Hymnus 350. Com 50 registros distribuídos nos 3 manuais e pedaleira, está instalado na galeria fronteira ao grande órgão Walcker, do lado direito, acima da Capela do Santíssimo Sacramento.

Dados Gerais

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-5-3.jpg 
Fachada dos tubos (1)

  • Localização: Mosteiro de São Bento – Largo de São Bento, Centro, São Paulo (SP)
  • Construção: Walcker, Alemanha, 1954 (op. 3.219)
  • Reformas/restaurações:
    • 1997: instalação do console Laukhuff
  • Características (2002):
    • 4 manuais e pedaleira
    • 81 registros, sendo 77 reais (2)
    • Tração eletromecânica

Registros

O instrumento conta com os seguintes registros (3), (4), (5):

  • I Manual
    • Praestant 16’
    • Gedackt 16’
    • Prinzipal 8’
    • Weitprinzipal 8’
    • Holzflöte 8’
    • Gedackt 8’
    • Trompete 8’
    • Salicional 8’
    • Oktave 4’
    • Rohrgedackt 4’
    • Trichterregal 4’
    • Quinte 2 ⅔ ’
    • Superoktav 2’
    • Rohrflöte 2’
    • Cornett 3-5 fach
    • Grossmixture 5-6 fach
    • Kleinmixtur 4 fach
       
    • Anul Unis I
    • II/I
    • III/I
    • IV/I
    • Sub I
    • Sub II/I
    • Sub III/I
    • Super I
    • Super II/I
    • Super III/I
  • II Manual
    • Quintatön 16’
    • Dulcian 16’
    • Geigenprinzipal 8’
    • Gemshorn 8’
    • Holflöte 8’
    • Viola di Gamba 8’
    • Tuba Mirabilis 8’
    • Prinzipal 4’
    • Viola d`amore 4’
    • Blockflöte 4’
    • Clairon 4’
    • Nasat 2 ⅔ ’
    • Oktave 2’
    • Terz 1 ⅗ ’
    • Echomixtur 4 fach
       
    • Tremolo
    • Anul Unis II
    • III/II
    • IV/II
    • Sub II
    • Sub III/II
    • Super II
    • Super III/II
  • III Manual
    (expressivo)
    • Lieblich Gedackt 16’
    • Hornprinzipal 8’
    • Rohrflöte 8’
    • Quintatön 8’
    • Aeoline 8’
    • Vox Celeste 8’
    • Oboe 8’
    • Vox Humana 8’
    • Fugara 4’
    • Gemshorn 4’
    • Stillgedackt 4’
    • Rohrschalmey 4’
    • Flageolett 2’
    • Spizquinte 1 ⅓ ’
    • Scharf 4 fach
       
    • Tremolo
    • Anul Unis III
    • IV/III
    • Sub III
    • Super III
  • IV Manual
    (expressivo)
    • Spitzflöte 8’
    • Lieblich Gedackt 8’
    • Zartflöte 8’
    • Unda Maris 8’
    • Krummhorn 8’
    • Präestant 4’
    • Querflöte 4’
    • Gedacktpommer 4’
    • Gemshornquinte 2 ⅔ ’
    • Sesquialtera 2 fach
    • Waldflöte 2’
    • Glöckleinton 2 fach
    • Sifflöte 1’
    • Cymbel 2-3 fach
       
    • Tremolo
    • Anul Unis IV
  • Pedal
    • Untersatz 32’
    • Prinzipalbass 16’
    • Flötenbass 16’
    • Violonbass 16’
    • Subbass 16’
    • Posaune 16’
    • Quintbass 10 ⅔ ’
    • Gedackt 16’
    • Quintatön 16’
    • Lieblich Gedackt 8’
    • Oktavbass 8’
    • Flötenbass 8’
    • Gedecktbass 8’
    • Trompetenbass 8’
    • Tromba 8’
    • Choralbass 4’
    • Gedecktpommer 4’
    • Clairon 4’
    • Nachthorn 2’
    • Rauschbass 4 fach
       
    • I/Ped.
    • II/Ped.
    • III/Ped.
    • IV/Ped.

Disposição

Os registros do instrumento podem ser dispostos, por família, da seguinte forma (6):

Notas:

(a) Em geral, Dulcian tanto pode ser uma flauta (mais comumente chamada de Dulciana) quanto uma palheta (frequentemente vista como Dulzian). No caso deste órgão específico, em diversas referências escritas se vê tal registro anotado junto de outras palhetas e, por isso, o colocamos como palheta. [a confirmar]

(b) Falta-nos literatura acerca do registro Oktavbass 8’. Foi classificado na família dos principais pelo nome (registros octave tendem a ser principais) e, também, pelo fato de que sem ele não existiria nenhum registro principal de 8’ no pedal (o que, obviamente, não faz sentido para um instrumento dessa magnitude). [a confirmar]

(c) Em todas as referências consta que o órgão possui 77 registros reais; em nossa contagem, são 81 puxadores. A julgar exclusivamente pela nomenclatura dos registros, são "repetidos" os seguintes registros: Gedackt 16’ (I Manual e Pedal); Lieblich Gedackt 16’ (I Manual e Pedal); Lieblich Gedackt 8’ (IV Manual e Pedal); Gedacktpommer 4’ (IV Manual e Pedal). [a confirmar]

Para visualizar o gráfico em alta resolução, baixe o arquivo original aqui).

Fotos

Clique nas imagens para ampliá-las:

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-1-2.jpg
 Fachada dos tubos (7)

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-5-2.jpg
 Fachada dos tubos (1)

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-2-2.jpg
 Console (7)

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-4-2.jpg
 Console (4)

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-3-2.jpg
 Órgão Ahlborn (digital) (8)

instrumentos:mosteiro-sao-bento-sp-6.jpg
 Fachada do Mosteiro (9)

Saiba mais

Referências e notas

1. António Mota (site atualmente fora do ar), acesso em maio 2001.
2. Nota: em diversos textos afirma-se que os instrumento possui 77 registros reais, o que faz crer que 4 registros são aparentes, ou seja, compartilhados entre os manuais.
3. II Festival Internacional São Bento de órgão, «Programação», 1995.
4. IV Festival Internacional São Bento de órgão, «Programação», 1997.
5. Dorotéa Kerr, «Catálogo de órgãos da cidade de São Paulo», São Paulo, Annablume, 2001, p. 231–238.
6. Carlos Nascimento, fev. 2015.
7. Mosteiro de São Bento, acesso em maio 2001.
8. Ahlborn organs, acesso em maio 2001.

Registramos aqui nossos agradecimentos a Dom Rocco Fraioli, O.S.B, pelos materiais e informações relativos ao órgão em visita feita ao instrumento em 2001.

(em nosso projeto este órgão está na ETAPA 3)

Navegação

página inicial

participe do projeto

contato

Órgãos

lista geral (completa)


listagem:

    ◇ por construtor

    ◇ por lugar

    ◇ por período

    ◇ por características


mapa dos instrumentos


estatísticas
(órgãos em números)

Harmônios

Descubra mais

textos

glossário

sugestões de leitura